terça-feira, 15 de setembro de 2020

Em Prova: Joaquim Arnaud Moscatel de Setúbal 2017

A mente irrequieta de Joaquim Arnaud queria fazer um Moscatel. E foi na Sivipa com o enólogo Filipe Cardoso que seleccionou o lote para este Moscatel Joaquim Arnaud 2017 que com o seu cunho  pessoal ganha um equilíbrio que muitas vezes não se encontra na região. Setúbal produz por excelência moscatel que às vezes podem cair no lado 'chato', devido à elevada doçura que podem atingir. Neste caso, como seria de esperar, temos um vinho pleno de equilíbrio e frescura, a mostrar na minha opinião, todas as qualidade boas de um óptimo Moscatel de Setúbal. O nariz é inebriante, com notas claras cítricas, de laranja cristalizada e um toque herbáceo / mentolado que lhe dá uma graça especial e uma frescura logo no primeiro contacto com o nariz. A boca é gorda, como seria de esperar, mas com uma prova sempre fresca, viva e intensa, com o tal kick mentolado que eleva o conjunto e o torna 'perigoso', puxando para mais um gole. Termina longo, com a doçura muito bem contrabalançada. Tem um preço altamente combativo de cerca de 13€. Garrafeiras.

Sérgio Costa Lopes

Sem comentários:

Publicar um comentário