sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Arena de Baco: Os Tintos da Talha, de Roquevale


A rubrica Arena de Baco pretende colocar frente a frente vários vinhos e só um sairá vencedor... embora isso pouco interesse tenha. O importante é falarmos mesmo de todos os vinhos, à sua maneira, pois no confronto,  com maior ou menor Knock Out, estiveram todos MUITO bem. 

O jantar foi promovido e organizado pelo blogger Amândio Cupido (garficopo), um dos bloggers da região Norte que melhor prova e mais contribui para a divulgação dos vinhos portugueses. O mote foi uma prova vertical dos vinhos Tinto da Talha Escolha, dos anos 2003 a 2010

BATALHA
  • 2010 (Aragonez, Touriga Nacional)  - Este vinho sofreu um pouco de uma possível não tão boa análise, devido à temperatura elevada a que foi servido. Com a temperatura certa mostrou-se perfumado, especiado, com notas de cacau / baunilha. Carácter quente na boca, mas com uma frescura que revela boa acidez. Termina de comprimento médio e com pendor gastronómico. 16/20
  • 2008 (Aragonez, Alicante Bouschet) -  Provavelmente o vinho mais fresco da prova. Notas fumadas, algo licoroso, com fruta a dizer presente. De novo a baunilha, mas um conjunto bastante harmonioso e guloso, pronto a beber. . 16,5/20
  • 2007 (Syrah, Alicante Bouschet) - Mais complexo que o 2008. Com mais camadas para descobrir. Carácter fumado mais uma vez, aroma intenso e profundo, mas a carecer ainda de ligação o que demonstra a vivacidade do vinho. O final mais longo que o 2008. Muito bom. 16,5/20
  • 2006 (Syrah, Touriga Nacional). O vinho mostra o calor do ano e a qualidade inferior do mesmo. Apresenta menos volume do que os anteriores, sente-se muito mais o calor e até se torna um pouco "chato" ao segundo copo. Claramente o irmão mais pobre em prova. 15/20
  • 2005 (Touriga Nacional, Aragonez).- Achei-o na linha do 2010, com a especiaria em evidência e o carácter fumado. Impressiona no entanto, a boa forma para um vinho do Alentejo com 11 anos. Peca apenas e só por algum excesso de calor. Mas muito bem16/20
  • 2004 (Syrah, Touriga Nacional)- Muito na linha do 2007. Complexo e elegante, com fruta presente, algumas nota químicas, mas tudo a dar uma prova muito equilibrada e saborosa. O final é bem longo e apetecível.. 17/20
  • 2003 (Touriga Nacional, Aragonez) - O melhor vinho em prova, que também foi a primeira edição desta referência. Fresco, perfumado, intenso, elegante, com fruta de muito boa qualidade. Final muito longo. Muito, muito bom..13 anos...! 17,5/20
Resumindo, foi uma prova que demonstra bem a qualidade e longevidade desta referência. A linha condutora foi sem dúvida a rusticidade (alentejana), o toque comum abaunilhado e especiado e o carácter gastronómico. Impressionantes os vinhos dos anos de 2003 e 2004 pela vivacidade e elegância. Destaque também para o 2008 pela harmonia e o 2007 pela profundidade. PVP 7,49€

May the Wine be with you...!

Sérgio Lopes

Sem comentários:

Publicar um comentário